ponto de vista

sonoridades

arquivo »

vídeos e fotos

  • jornais A
  • Jornais B
  • Jornais C
  • Jornais D

Lomography

“Hot Shots – faça de cada foto a sua melhor”, de Kevin  Meredith, da Booman, impresso na China é um livro de fotos, com todas as respectivas indicações de cada uma delas e quase todas em lomography.
“Imaginei que Dave pegando jacará daria uma boa foto, assim posicionei-me bem perto dele e foquei – se é que é possível focar com uma Nikonos-V; assim como a Lomo LC-A, você não consegue ver no visor o que está em foco. Como é necessário estimar a distância em relação ao assunto, tive que confiar na sorte. Deve se movimentaria uma hora ou outra, logo, fechei o diafragma em f/16. Com essa profundidade de campo eu sabia que, se ele se aproximasse ou se afastasse, ainda estaria em foco. Não pude fechar o diafragma mais porque ficaria em 1/60 segundo a menos, o que resultaria em uma imagem borrada.

Câmaera Nikonos-V (niv), lente 35mm, filme Fuji Sueria 400, negativo, velocidade 1/125 segundo, abertura f/16, nenhum acessório, luz da manhã cedo com dia nublado.

Foto com tripé – Câmera Canion EDS (SLR), lente 50mm, distância focal de 50mm,  filme Agfa utra 100, negativo, velocidade N/D, abertura n /D. luz da noite.
Câmera Lomo LC-A (ZF), lente 35mm, distância focal 35mm, filme Agfa precisa 100, transparência, processamento cruzado, velocidade n/D, abertura n/D, luz da tarde em dia nublado.

Esta imagem ficou interessante poque os desenhos parecem estar olhando para a bicicleta nova. A câmera estava apoiada no chão e o foco estava ajustado ao infinito, desfocando o primeiro plano. Se você estiver usando uma câmera compacta digital ou de um filme com foco automático, desligue-se e o ajuste infinito se puder. Do contrário a câmera tentará focar o chão próximo dela.

em lomographia





Imagens (em lomographia) para melhor imaginar. Não anotei nada. Nenhuma especificação técnica. O “aparelho” é uma Diana F+,  filme asa 400 P&B, 120mm, negativos 6×6 escaneados com leve aumento do brilho.

sábado de sol em lomographia

sábado (09.06.2011) de muito sol de um inverno bem frio

Este grupo se reuniu, na Redenção, para a prática de fotografar com as câmeras de Lomographya. Cada um com sua Diana F+ ou com sua Holga se preparava para a “excursão”, com orientação do Flávio (abaixado), da Escola de Fotografia do Projeto Contato.
Com uma câmera Diana F+ a fotógrafa já se divertia mesmo antes de começar a atividade do grupo.  Em um outro encontro, após a revelação dos filmes, cada um vai mostrar o resultado da  prazerosa brincadeira de fotografar em lomo. Já estou de férias, nos espaços virtuais, mas não podia perder esta oportunidade. Não lembro quem dizia que a cada avanço tecnológico ( câmara digitais sofisticadíssimas) sempre ocorre uma revalorização dos aparelhos mais antigos. Ou coisa parecida. Fotografar em Lomo é um exemplo. Virou moda. A estas alturas são tantas referências e leituras que, propositadamente, vou embaralhando tudo. Pode ser  até que esta seja uma conclusão “minha”.