ponto de vista

sonoridades

arquivo »

vídeos e fotos

  • jornais A
  • Jornais B
  • Jornais C
  • Jornais D

a imagem

 Israel é um morador de rua. Passa boa parte do dia no Largo Glênio Peres, centro de POA. É uma pessoa educada e bem articulada. Quando pode conta algumas histórias sobre os judeus. Foto digital, regulagens no manual, iso 400, velocidade 125, nenhuma anotação sobre abertura de diafragma. Sem manipulação com leve corte na parte inferior.

disputa acirrada por um prêmio ari-gó

Nota publicada na edição de hoje de Zerolândia.  Showrnalista ganha prêmio e quem fatura é a empresa. No caso o PRBS (Partido Rede Brasil Sul de Comunicação).  Não sei de onde saiu a informação de que  eu teria dito que o repórter Caco Barcelos se vendeu ao sistema. Sou amigo dele desde a década de 70 e é um dos poucos repórteres da mídia corporativa que continuo respeitando. Posso ter dito, em sala de aula, que o jornalismo feito por ele não pode ser tomado como exemplo do jornalismo da rede Globo. Esta empresa é a principal responsável pelo pior jornalismo já feito no país, em função do fato de que ninguém fecha uma capa de jornal sem ter como referência o JN. Aquilo que Pierre Bourdieu denominava de mentalidade índice de audiência. Perseu Abramo, em seu livro “Padrões de Manipulação Grande Imprensa”, além de de ter criado os conceitos de manipulação por indução, fragmentação, inversão e ocultação, também, nos mostrou como empresas como a Globo precisam do jornalismo competente de um grande repórter como o Caco Barcelos. E às vezes de até mais de um bom profissional. Coisa para equilibrar, na aparência, um mundo de manipulações. Quanto a posição dos “alunos do ungaretti que acham… ” é uma bobagem. Não existe a entidade alunos do ungaretti. Cada um pensa o que bem entender.
E eu digo o que bem entender.

No Facebook é só chegar em 

http://www.facebook.com/wladymir.ungaretti1

histórias do cofre do adhemar

 Este é o livro que comentei na postagem de ontem. Achei meio oportunista por parte da editora Civilização Brasileira ter colocado uma foto da presidente Dilma, dos tempos de militância na Var-Palmares (Vanguarda Armada Revolucionária – Palmares), na medida em que ela não teve nenhuma relação direta com a ação de expropriação do cofre do Adhemar.
 As notícias da época sobre a ação de expropriação realizada pela Var-Palmares e que resultou na posse de um cofre lotado de dólares. Na postagem anterior falo no militante com nome de guerra Bicho e que foi preso em POA. O nome dele era Gustavo Schiller e que segundo se comentava teria sido o militante que passou a informação da existência do cofre na mansão de Ana Capriglione.

a imagem

Na lateral do Mercado Público (POA), frente para a estação do metrô, Marlene, Nádia e Paula, literalmente, pousaram para a foto.

muitas histórias ainda serão contadas

 Está para chegar nas livrarias “O cofre do Dr. Rui”, autoria de Tom Cardoso, editora Civilização Brasileira. Conta a  história do roubo do cofre do Adhemar, o Adhemar de Barros, que foi governador de SP, apoiador do golpe de 1964 e autor da famosa frase “robo, mas faço”. O cofre com dólares  estava na casa da amante Ana Capriglione. A ação foi da VAR-Palmares. A informação da existência do cofre (não sei se do livro consta esta informação) foi passada por um sobrinho da amante, militante da VAR que acabou preso em POA e tinha o nome de guerra de “Bicho”. Cheguei a ter contato com ele representando o POC (Partido Operário Comunista). Não consigo lembrar seu nome verdadeiro. Foi barbaramente torturado e algum tempo depois de solto se matou. Tom Cardoso é o autor da bela biografia do jornalista Tarso de Castro, livro que recomendo aos meus alunos. Tom é filho do também jornalista Jary Cardoso que começou, na profissão. aqui no sul. Pelas mãos do Marcão (Marcos Faerman).

a imagem

Guindastes do cais do Guaíba, centro de POA, visão a partir de uma das laterais do Mercado Público.