ponto de vista

sonoridades

arquivo »

vídeos e fotos

  • jornais A
  • Jornais B
  • Jornais C
  • Jornais D

escrituras marginais

ESCRITURAS MARGINAIS – Esta era outra das sessões da revista eletrônica Pontodevista. Todo material recebido, das mais diversas formas, com um sentido absolutamente marginal era editado nessa área do sítio. Com o processo de censura, proibição de publicação de alguns materiais de crítica ao jornal Zero Hora, e, por decorrência, a impossibilidade de realizarmos uma efetiva “limpeza”; tiramos tudo da rede. Ficamos restritos ao BlogPontodevista. Nesse momento, com uma parada na produção diária de postagens, estamos recolocando à disposição de nossos novos e antigos leitores, algumas dessas sessões com o desenho original e sem nenhuma revisão. Não deixaremos de assinalar que formos absolvidos, em todas as instâncias, na esfera criminal. Mas continuamos submetidos a uma multa de 150 reais  diários em caso de manutenção das antigas críticas ou de novas observações na mesma linha. Não existe meia censura. Ou posso baixar o cacete em qualquer coisa do showrnaleco da Ipiranga ou não digo nada. Fotocampa é atividade policialesta. E “cascata” é “cascata”.

ESCRITURAS MARGINAIS É AQUI.  Nossos objetivos já foram alcançados. Começa a ficar difícil distribuir, também, o Prêmio ARI-Gó (da Associação Riograndense de Imprensa) de Fotojornalismo. Ficou mais escancarado, o que não significa garantia de nada, o fato de que “bundão” é “bundão”, “cascateiro” é “cascateiro” e fotocampana é uma atividade policialesca e quando muito shownalística, JORNALISMO É UMA OUTRA COISA.

anotações sobre a academia e o ensino

Quando do início do processo de censura a que formos submetidos estávamos começando a construção de uma “editoria de ensino”. Uma área da revista eletrônica Pontodevista destinada a reunir todos os textos produzidos e que tinham por centro a questão do ensino. Nessa parada de um mês, na produção de conteúdos diários para o BlogPontodevista, resolvemos disponibilizar este material, com o desenho original e nenhuma revisão ou atualização. Assim, ao mesmo tempo que temos uma folga,  novos e antigos leitores poderão (re)ler este material verificando, inclusive, os acertos e erros cometidos em nossas opiniões. Incansavelmente, não abriremos mão de sempre fazermos uma referência ao fato de que continuamos submetidos à censura, impedidos de comentar alguns conteúdos do jornal Zero Hora, em função de uma ação cível ainda em andamento. Estamos sujeitos à uma multa diária de 150 reais em caso de descumprimento da determinação. Na esfera criminal, em todas as instâncias, a determinação foi pela absolvição com uma resolução que aponta para o fato de que nenhuma de nossas críticas, assim como o uso de apelidos não ter tido um sentido criminoso. “Botões” ou “linques” rompidos é resultante do fato de termos sido obrigados a retirar algumas páginas da rede. LEIAM ESTAS PEQUENAS NOTAS SOBRE ASSUNTOS RELATIVOS AO ENSINO E À ACADEMIA.

índice cannábico

Na antiga revista eletrônica Pontodevista, editada mensalmente durante oito anos, a COLUNA COLOMY era uma das sessões mais lidas. Nosso interesse no tema nunca foi por motivos medicinais ou terapêuticos.  A partir do momento em que a Justiça determinou a proibição dos conteúdos críticos em relação a Zerolândia (jornal Zero Hora), como decorrência de ações movidas por um funcionário com 35 anos de PRBS (Partido Rede Brasil Sul de Comunicação), fomos obrigados a retirar tudo o conteúdo da rede. Era impossível realizarmos uma “limpeza” de retirada dos conteúdos proibidos. Reafirmamos que nossos objetivos já foram alcançados. “Cascata” é “cascata” no fotojornalismo. Foto campana  é atividade policialesca. No âmbito criminal, em todas as instâncias, fomos absolvidos. A resolução aponta para o fato de que nenhuma de nossas críticas foi criminosa. O uso de apelido, também, não foi considerada uma ação criminosa.  Está ainda em andamento uma ação cível e que determina uma multa diária de 150 reais diários caso eu descumpra a determinação de  não comentar alguns conteúdos.  O fato é que censura é censura. Não existe meia censura. Graças aos bons deuses não fui contemplado com qualquer ação de solidariedade da rede de conivências corporativas, tipo Sindicato dos Jornalistas, Fenarj, ARI (entidade promotora do Prêmio ARI-GÓ de showrnalismo), pois ficaria sob suspeita. NAVEGUE PELO ÍNDICE CANNÁBICO.

Emfoco na revista eletrônica Pontodevista

Na revista eletrônica Pontodevista, edição mensal durante oito anos, tínhamos várias editorias ligadas à área de fotografia. Uma delas era a sessão EmFoco onde, aleatoriamente, publicamos imagens de materiais que ao longo do mês – por uma ou outra razão – acabava passando pelas nossas mãos.Com a impossibilidade de realizarmos a “limpeza” que nos foi imposta pela Justiça, em função de ações movidas por um funcionário do PRBS (Partido Rede Brasil Sul de Comunicações/Jornal ZH) fomos obrigados a retirar tudo da rede. E, embora tenhamos sido absolvidos na esfera criminal, em todas as instâncias, cuja sentença final aponta para o fato de que cometemos nenhum crime com as nossas críticas, assim como não fomos responsabilizados pelo divulgação do apelido do autor das ações, estamos submetidos pela ação cível (ainda em andamento) à uma multa diária de 150 reais diários em caso de manutenção do material originalmente (com críticas), editado pela revista. Estamos aproveitando esta parada na produção de conteúdos diários para uma redição de algumas das matérias da revista e que escaparam da censura. Navegue pela sessão EmFoco a patir DAQUI.